Após beijar namorado, secretário do Senado é expulso de táxi - O Democrata - O Democrata O Democrata - Noticia toda hora

Após beijar namorado, secretário do Senado é expulso de táxi

Nas redes sociais, o psicólogo afirmou ainda que foi agredido por policial militar após o ocorrido. Ele registrou o caso em uma delegacia

Nacional

6 meses atrás

Eliseu Neto afirmou que foi expulso de um táxi por um motorista de aplicativo de transporte após beijar o namorado

O secretário parlamentar Eliseu Neto afirmou neste domingo (05/01/2020) que foi expulso de um táxi por um motorista de aplicativo de transporte após beijar o namorado em Recife. Além disso, o psicólogo e ativista disse que teria sido agredido pela Polícia Militar “de forma surreal” após ser visto com seu companheiro.

No Twitter, o funcionário do Senado Federal, que trabalhou no projeto para transformar a LGBTfobia em crime análogo ao racismo, contou que estava dentro de um veículo do 99 Táxi quando o motorista mandou que descessem, porque não queria que “aquilo” ocorresse dentro do carro.

“Quando eu fui tirar foto da placa do carro para reportar ao aplicativo/empresa, o motorista disse que chamaria a polícia, pois havia uma viatura em frente [ao local]. De forma surreal, o policial chegou já agressivo”, escreveu.

O secretário parlamentar relatou que pediu ao policial que se acalmasse e se identificasse. Segundo ele, “a resposta foi um empurrão”. “Levantei e disse que ele não poderia tratar ninguém daquela forma. Fui empurrado novamente. Foi uma cena surreal”, afirmou.

Eliseu Neto criticou ainda o sistema eletrônico da Polícia Civil do estado que, de acordo com ele, não tem o item “agressão”. “É um tremendo absurdo. Eu irei tranquilamente na delegacia segunda, junto com um promotor, com deputado federal, com mil pessoas. Eu quero saber do LGBT de periferia, que corre risco de ser humilhado por um delegado, quando for denunciar outro policial”.

A postagem do psicólogo já rendeu mais de 4 mil curtidas e internautas postam mensagens de solidariedade ao ocorrido.

Fonte: metrópoles
últimas noticias
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade