Com tom ameno, Jofran Frejat (PR) evitou fazer críticas aos opositores - O Democrata - O Democrata O Democrata - Noticia toda hora

Com tom ameno, Jofran Frejat (PR) evitou fazer críticas aos opositores

Discurso conciliador no debate do Metrópoles foi alvo de deboche do governador Rodrigo Rollemberg: “Eu vou acabar ganhando o voto do Frejat”

Política

4 meses atrás

 

A saúde pública foi o principal assunto abordado pelo pré-candidato ao Buriti pelo PR, Jofran Frejat, durante o primeiro debate promovido pelo Metrópoles, na noite desta segunda-feira (9/7). Mas nem mesmo quando enfrentou críticas a sua gestão como secretário de Saúde, nos governos Roriz e Arruda, o médico partiu para a briga. Adotou um tom mais ameno e disse em diversos momentos não fazer “críticas à toa”. O pré-candidato também elogiou o governador Rodrigo Rollemberg (PSB), que reagiu com deboche: “Eu vou acabar ganhando o voto do Frejat”.

Ao se apresentar, Jofran Frejat aproveitou os dois minutos aos quais tinha direito para fazer um resumo de suas realizações quando exerceu os cargos de deputado federal e secretário de Saúde. “Estou em uma fase na qual poderia estar no conforto da minha aposentadoria, mas minha intenção é mudar”, disse

A atuação do médico como gestor do GDF logo voltou a ser assunto. Sorteada para fazer uma pergunta para Frejat, a professora da Faculdade de Saúde da Universidade de Brasília (UnB) e enfermeira Fátima Souza, pré-candidata ao Buriti pelo PSol, perguntou o motivo de o ex-secretário ter acabado com o programa Saúde em Casa, considerado por ela uma iniciativa exemplar. Frejat a chamou de mal informada e completou: “Nós não acabamos. Nunca foi extinto, ele ficou compatibilizado com as unidades de saúde do DF”.

Na réplica, Fátima reforçou a acusação: “O senhor canetou, sim. O senhor sabe que sua gestão deu o passo inicial para que o programa passasse a cambalear. No nosso governo, vamos voltar com o programa”, garantiu a pré-candidata. Ao exercer o direito de tréplica, o ex-secretário de Saúde apenas lamentou: “Não reconhecem o que eu fiz pela saúde no DF”.

“Cada um escolhe a vida que quer”
Mesmo sem abandonar o tom ameno, Frejat foi protagonista de um dos momentos mais polêmicos do debate. Ao ser questionado pelo colunista do Metrópoles Caio Barbieri sobre como pretende lidar com a ideologia de gênero, Frejat disse “cada uma faz o que quer. O que não posso aceitar é uma determinação que todo mundo faça parte de um grupo”.

Na réplica, Barbieri insistiu para o candidato apresentar propostas voltadas à comunidade LGBT. “Fez a opção, está feita. Tenha uma boa viagem e um bom trabalho”, encerrou Frejat.

Fonte: Metrópoles
últimas noticias
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade