Conheça a história de Maria Aparecida, presidente do PROS Mulher - O Democrata - O Democrata O Democrata - Noticia toda hora

Conheça a história de Maria Aparecida, presidente do PROS Mulher

Maria Aparecida elaborou e implantou o projeto “O Fim do Silêncio” que tem como objetivo incentivar a participação política das mulheres e combater a violência doméstica.

Política

1 semana atrás

 

Maria Aparecida é educadora e teóloga goiana, com vasta experiência e atuação nas áreas educacional, de gestão pública e de ação política na Presidente Nacional do PROS Mulher – do Partido Republicano da Ordem Social, do qual é uma das principais fundadoras.
Maria Aparecida elaborou e implantou o projeto “O Fim do Silêncio” que tem como objetivo incentivar a participação política das mulheres e combater a violência doméstica.
Profissionalmente, dirigiu e coordenou trabalhos em várias escolas de Goiás e Mato Grosso, onde também atuou como professora. No Distrito Federal, também trabalhou como ouvidora do Hospital de Base de Brasília, onde também desempenhou um trabalho junto ao órgão de sindicância dessa conceituada instituição.
Consciente da sua missão, Dra. Maria Aparecida, carinhosamente chamada de Pastora Cida, é uma pessoa iluminada, uma pensadora, uma artífice, uma cidadã com extrema sensibilidade social e senso de Justiça.
Em 2016 concorreu nas eleições como vice-prefeita pelo PROS e ganhou.
A chapa composta por Dr. Davi e Pastora Cida venceu com 15.646 votos, 37,42% do eleitorado.
O Ministério Público Eleitoral de Goiás (MPE-GO) entrou com uma ação contra a chapa fruto de uma acusação onde acusa o Dr. Davi por ter, supostamente, pedido votos em uma reunião particular entre rodoviários.
Por conta dessa ação a chapa foi cassada em primeira instância, reformada parcialmente a decisão em segunda instância, podendo ser revertida essa situação no TSE.
No entanto, independente da manutenção ou não da cassação da chapa os direitos politicos de Dona Cida estão preservados, pois a justiça eleitoral verificou que o suposto fato ilícito não foi cometido por ela, mas sim pelo Dr. Davi.
Fato é que a justiça manteve a elegibilidade da Pastora Cida.
A idoneidade, compromisso e competência são características inabaláveis e intrínsecas da nossa querida Pastora Cida.

últimas noticias
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade