Formosa: servidores cobravam propina para menores entrarem em festas - O Democrata - O Democrata O Democrata - Noticia toda hora

Formosa: servidores cobravam propina para menores entrarem em festas

Polícia Civil prendeu três funcionários da Vara da Infância e da Juventude. Eles são acusados de cobrar taxa de empresários de até R$ 5 mil

Regional

1 semana atrás

Quatro pessoas foram presas nesta quinta-feira (9/8) em Formosa, Entorno do Distrito Federal, suspeitas de cobrar até R$ 5 mil de propina para liberar a entrada de menores em festas adultas e casas noturnas da região. Entre elas, três eram funcionários na Divisão de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), da Vara da Infância e da Juventude (VIJ).

Segundo a Polícia Civil de Goiás (PCGO), os servidores são acusados de cobrar taxas específicas dos organizadores de festas realizadas no município goiano para que eles burlassem a fiscalização. A polícia estima que a prática ocorra há, pelo menos, quatro anos.

O delegado responsável pela investigação, José Antônio Machado Sena, explica que os valores variavam de acordo com o tamanho da festa. “Eventos maiores tinham taxas maiores. Eles [os acusados] já chegaram a cobrar de R$ 270 a R$ 5 mil”.

Os criminosos ofereciam ainda outros serviços, segundo a polícia. Se comprometiam a cuidar da segurança dos eventos, visando facilitar o ingresso de menores nas festas voltadas para maiores de 18 anos. “Nos locais, crianças e adolescentes bebiam e consumiam drogas sem serem incomodados”, afirmou o delegado.

De acordo com José Antônio, quem se recusasse a pagar a taxa teria fiscalização redobrada. Com medo, muitos organizadores optavam por pagarem a propina.

Os suspeitos responderão por organização criminosa e concussão – modalidade passiva de corrupção. Os responsáveis pelos eventos também estão sob investigação e poderão ser responsabilizados.

“Uma das organizadoras já prestou depoimento e confirmou a prática ilícita. Demoramos para chegar aos suspeitos, pois se valiam da máquina pública para extorquirem as vítimas”, explicou.

 

Fonte: Metrópoles
últimas noticias
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade