Investigado, administrador do Lago Norte se explica no WhatsApp - O Democrata - O Democrata O Democrata - Noticia toda hora

Investigado, administrador do Lago Norte se explica no WhatsApp

São investigadas irregularidades nos procedimentos que visavam a ampliação do empreendimento.

Política

2 semanas atrás

Apontado como um dos interlocutores do Palácio do Buriti no esquema de tráfico de influência investigado pela Operação (12:26), deflagrada nesta terça (7/8), o administrador do Lago Norte, Marcos Woortmann, recorreu ao WhatsApp para dar explicações sobre o ocorrido.

“Meu trabalho é receber e ouvir as pessoas, da mais humilde à mais letrada. Recebo todos como iguais, como recebi os membros da diretoria do [shopping] Iguatemi”, escreveu em mensagem encaminhada a grupos de moradores da região nobre de Brasília.

No texto, Woortmann também disse ter sugerido “aos representantes do Iguatemi que procurassem apresentar seu pleito aos parlamentares que têm familiaridade com o Lago Norte – todos pessoas honestas e com anos de vida pública ilibada – algo que é seu direito, como é o de qualquer cidadão”. O administrador encerra a nota dizendo ter uma trajetória transparente e de dedicação ao Lago Norte.

A operação da Polícia Civil e do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) chegou até Marcelo Carvalho de Oliveira, ex-executivo do grupo Paulo Octávio, um dos donos do Shopping Iguatemi. São investigadas irregularidades nos procedimentos que visavam a ampliação do empreendimento.

De acordo com a Polícia Civil, representantes do centro comercial estiveram no Buriti duas vezes, entre 2016 e 2017, para tentar aumentar a área utilizada, mesmo em desacordo com a Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos). À tarde, após a ação policial, o GDF decidiu interromper processo que tratava da ampliação e da mudança de destinação de terrenos.

Escândalo
A Operação (12:26) investiga denúncia de tráfico de influência e advocacia administrativa envolvendo integrantes do GDF. Foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão, em Brasília e em São Paulo, autorizados pela 4ª Vara Criminal de Brasília.

Entre os alvos, estão o assessor especial da Casa Civil Marcello Nóbrega; o administrador do Lago Norte, Marcos Woortmann; Leonardo Rocha de Almeida Abreu, irmão do chefe de Gabinete da Casa Civil; Guilherme Rocha de Almeida Abreu; Luiz Fernando Messina, ex-assessor do deputado distrital Rodrigo Delmasso (PRB); e Hermano Gonçalves de Souza Carvalho, ex-secretário de Desenvolvimento Econômico da gestão de Agnelo Queiroz (PT) e, até a manhã desta terça (7), lotado no gabinete de Delmasso. Ele foi exonerado em seguida.

Confira a íntegra da mensagem:
A todos meus amigos, familiares, servidores e moradores do Lago Norte

A função de um administrador regional é a de representar o governo perante a comunidade, e representar os interesses da comunidade perante o restante do governo. Do gari ao soldado, ao idoso, ao agricultor, ao empresário que trabalha na comunidade. Meu trabalho é receber e ouvir as pessoas, da mais humilde à mais letrada. Recebo todos como iguais, como recebi os membros da diretoria do Iguatemi.

Trato a todos que me procuram de forma transparente e republicana, atendendo aos pleitos da comunidade sem distinção, em prol do interesse público. Por isso, inclusive, sempre prefiro me encontrar em locais públicos, tratando os assuntos dessa natureza de forma aberta e nítida. 

O Iguatemi solicitou aumento de sua taxa de edificação de forma pública, na Segeth, órgão competente para análise deste pleito, que é responsável por encaminhar a proposta da Luos (Lei de Uso e Ocupação do Solo) para a Câmara Legislativa.

A Luos é exatamente o instrumento previsto em lei para ser o canal de discussão entre as cidades e o governo, e como representante do governo no território, sempre tenho inúmeras reuniões sobre a Luos e vários outros assuntos de interesse da cidade, pois este é o trabalho de um administrador regional.

Após o envio da proposta da Luos (de todo o DF) à Câmara Legislativa, cabe àquela Casa sua análise e alterações, como requer o princípio republicano de separação de Poderes numa democracia. Assim, sugeri aos representantes do Iguatemi que procurassem apresentar seu pleito aos parlamentares que têm familiaridade com o Lago Norte – todos pessoas honestas e com anos de vida pública ilibada – algo que é seu direito, como é o de qualquer cidadão. 

Minha vida é simples e transparente, e sempre me conduzi de forma correta, então confio que as apurações irão demonstrar que apenas cumpri o dever que meu ofício me incumbe, de cuidado e atenção com a comunidade do Lago Norte, onde cresci, onde vivo, e onde trabalho pela terceira gestão como administrador regional. 

Fonte: Metrópoles
últimas noticias
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade