Jaqueline Silva defende a fabricação de uniformes escolares por empresas de Brasília - O Democrata - O Democrata O Democrata - Noticia toda hora

Jaqueline Silva defende a fabricação de uniformes escolares por empresas de Brasília

A deputada participou da audiência e colocou seu cargo à disposição para defender os interesses dos empresários locais

Política

1 mês atrás
“Sou oriunda do setor produtivo, sei a importância de manter esse dinheiro circulando entre as empresas do Distrito Federal”, disse a deputada

Na noite desta última segunda-feira, dia 9 de setembro, no auditório do SENAI de Taguatinga, o Sindicado do Vestuário do DF (SINDVESTE) realizou uma Audiência Pública com os produtores do setor para esclarecer sobre a licitação da compra dos uniformes escolares.

Segundo a presidente do sindicado, Walquiria Pereira, a licitação que está em curso, no valor de 96 milhões, não beneficiará em nada o setor produtivo do DF, visto que a confecção será destinada a apenas uma empresa e que não será de Brasília, por não haver uma empresa de tamanho porte para conseguir confeccionar todo esse material no DF.

Sensível ao problema em questão, a deputada Jaqueline Silva participou da audiência e colocou seu cargo à disposição para defender os interesses dos empresários locais. “Sou oriunda do setor produtivo, sei a importância de manter esse dinheiro circulando entre as empresas do Distrito Federal”, disse a deputada. “Além da circulação do dinheiro, tem a quantidade de vagas de empregos que perderemos se esse recurso sair do DF”, completou.

A luta dos produtores é para que este dinheiro fique no DF, que as escolas tenham autonomia para comprar o material via PDAF, Cartão Material escolar ou qualquer outra forma que beneficie os empresários da capital.

A expectativa dos produtores é de que o Tribunal de Contas do DF cancele a licitação e discuta o assunto juntamente com os empresários locais. Essa decisão será tomada nesta terça-feira, às 15 horas no auditório do TCDF. A presidente do SINDVESTE fez o apelo para que todos estivessem presentes. “Precisamos da presença dos empresários locais para lotar o auditório e pressionar para que tenhamos uma decisão em nosso favor”, disse Walquiria.

Se a licitação continuar como está, a estimativa é que várias empresas do DF fechem as portas, pois, para muitas, a confecção do uniforme escolar é a principal entrada de dinheiro.

Participaram ainda a reunião o deputado distrital Chico Vigilante e o presidente da associação Comercial de Taguatinga, Sr. Justus.

Fonte: Fabricio SantaOnLine
últimas noticias
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade