Meritocracia é fake news, afima Dilma Rousseff em aula na UFMG - O Democrata - O Democrata O Democrata - Noticia toda hora

Meritocracia é fake news, afima Dilma Rousseff em aula na UFMG

Ao dar aula inaugural, Dilma diz que impeachment serviu para combater políticas sociais petistas e questionou a ideia da meritocracia: 'Todos sabem o ponto de desigualdade em que começamos

Nacional

2 semanas atrás
Auditório superlotado, com o público se espremendo para, além de ver Dilma Rousseff, acompanhar a aula inaugural de um curso de graduação sobre ciências do Estado, da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com o tema centrado no impeachment. Ovacionada pela plateia, que literalmente invadiu o anfiteatro da Faculdade de Educação, a petista apontou o que levou, na visão dela, o país ao cenário atual e detalhou como viveu os acontecimentos recentes. A ex-presidente também abordou aspectos políticos, econômicos e sociais e se emocionou ao encerrar a palestra falando de Lula.
A disciplina, optativa aos alunos da UFMG, é coordenada pelo professor de filosofia do direito, Thomas Bustamante. Na sua aula, Dilma apontou o que chamou de seus dois “pecados”: a alteração orçamentária e o investimento em programas sociais, que, segundo ela, foram os reais motivos para o impeachment.
Ao abordar o tema, a ex-presidente condenou o discurso da meritocracia, que, para ela, distorce a realidade brasileira e serve como “tentativa de desqualificação das políticas petistas”. “Se existe uma coisa que é ‘fake news’ é a meritocracia. Todos sabem o ponto de desigualdade em que começamos”, disse.

Impostos

Dilma afirmou que as medidas tomadas em seu governo eram necessárias e citou, por exemplo, a manutenção da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). “Temos que parar com essa história de que no Brasil se paga muito imposto. É muito grave não ter CPMF. Uma pessoa faz uma transação de R$ 100 milhões e paga 0,38% disso. Outra que faz de R$ 6 mil, também paga 0,38%”, apontou.
A ex-presidente finalizou o discurso exaltando a população brasileira e defendeu Lula, preso em Curitiba por lavagem de dinheiro. “A campanha contra ele é a sequência do golpe. Precisamos impedir a reprodução deste processo. Temos que ser capazes de lutar e resistir. Somos uma grande nação com uma grande riqueza, que é o povo. O Lula sabia disso. Lula livre”, encerrou. Ao término da aula inaugural, não houve perguntas. Parte dos presentes subiram ao palco para cumprimentar Dilma e tirar fotos com ela. Cercada pelos fãs, a candidata ao Senado em Minas atendeu alguns e saiu em seguida.

“Democracia arranhada”

“Eu nunca esperava que a resposta do público fosse tão boa assim. Muito menos que pudéssemos ter a Dilma aqui. Quem melhor que ela, que sofreu esse processo todo, para poder falar sobre?”, comentou o professor Bustamante. A produção do curso abriu outras duas salas para a transmissão da palestra, mas não foi o bastante. Além das cerca de 200 cadeiras, os presentes se acomodaram nas rampas, escadas e próximo ao palco. Ao finalizar, o professor lembrou que ainda há vagas e que o público externo pode se matricular entrando em contato com o colegiado do curso, no próximo dia 13.
“Nossa democracia foi profundamente arranhada com esse processo. Precisamos entender e explicar o que aconteceu com um olhar teórico, crítico e científico para que não possa ocorrer novamente”, complementou Bustamante, ao apresentar a ex-presidente para a aula inaugural do curso ‘O impeachment de Dilma Rousseff como golpe de Estado’.

Fonte: Correio Braziliense
últimas noticias
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade