PM de Goiás que matou segurança em festa no Gama é condenado - O Democrata - O Democrata O Democrata - Noticia toda hora

PM de Goiás que matou segurança em festa no Gama é condenado

Segundo a denúncia, o crime foi praticado mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, pois ele atraiu o segurança para próximo do veículo em que se encontrava, quando efetuou os disparos.

Regional

1 semana atrás

A Justiça do DF condenou, nesta quarta-feira (6), o policial militar de Goiás Yuri Rafael Rodrigues da Silva Miranda a 17 anos de prisão pelo homicídio de Kássio Enrique Ribeiro de Souza, de 26 anos, que trabalhava como segurança em uma casa de festa, localizada no Setor Leste do Gama. O crime aconteceu em outubro de 2016 e teve grande repercussão, pelo envolvimento de um policial militar.

De acordo com a denúncia do Ministério Público do DF, Yuri agiu com motivação fútil, já que ele foi repreendido pela vítima, no estacionamento do local, porque havia parado o carro de maneira irregular. O crime, ainda segundo a denúncia, também foi praticado mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, pois ele atraiu o segurança para próximo do veículo em que se encontrava, quando então efetuou os disparos.

Perda do cargo

Além da prisão, Yuri também foi condenado a perda do cargo público de policial militar. De acordo com a sentença: “Conforme restou apurado nos autos, o réu demonstrou que não possui condições para permanecer no exercício do indigitado cargo público”. Assim, a corporação a que está lotado o acusado e o comando da Polícia Militar do Estado de Goiás devem ser notificados da decisão.

ENTENDA O CASO

Na madrugada de 23 de outubro de 2016, Yuri Rafael pretendia entrar em uma casa de festas no Setor Leste, no Gama. Como o evento estava encerrando, foi negada a entrada. O segurança chamou a atenção de Yuri, pois seu carro estava atravessado em frente à saída do local.

Yuri, então, reagiu com xingamentos e quando a vítima se aproximou do veículo, foi surpreendida com disparos em sua direção, que causaram-lhe a morte. Pessoas que estavam no local impediram a fuga do acusado, que teve a prisão decretada.

Fonte: JBr.
últimas noticias
Publicidade
Publicidade
Publicidade