Presidente iraniano deseja uma aliança com o Vaticano - O Democrata - O Democrata O Democrata - Noticia toda hora

Presidente iraniano deseja uma aliança com o Vaticano

Internacional

5 anos atrás

O presidente iraniano, Hassan Rohani, se dirigiu ao Papa para “retomar o diálogo entre os mundos islâmico e cristão” e “uma aliança entre o Irã e a Santa Sé”, inclusive contra o terrorismo e o extremismo, indicou nesta sexta-feira a agência de notícias do Vaticano, Fides.

De acordo com a agência de notícias católica, o pedido de Rohani foi lançado no início desta semana em Teerã, por ocasião do seu encontro com o novo núncio apostólico, arcebispo Leo Boccardi.

De acordo com a agência Fides, o novo presidente moderado da República Islâmica publicou uma foto do encontro em seu Twitter e escreveu que “o Islã e o Cristianismo precisam de diálogo mais do que nunca”. “A raiz dos conflitos entre religiões é, sobretudo, a ignorância e a falta de compreensão mútua”, declarou.

Hassan Rohani acrescentou que a Santa Sé e o Irã têm “inimigos comuns”, como o terrorismo e o extremismo, e “objetivos similares”, como o desejo de superar a injustiça e a pobreza, relatou a agência.

O novo núncio, que apresentou no último domingo suas credenciais, expressou o desejo de que os dois Estados possam trabalhar juntos para resolver crises regionais no Oriente Médio, especialmente o conflito em curso na Síria, de acordo com a Fides.

O ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohammad Javad Zarif, insistiu que, dada a forte presença de grupos extremistas no terreno, “a situação das minorias religiosas na Síria, como cristãs, são motivo de preocupação para nós”.

Ansioso para sair do isolamento, o Irã lançou uma grande ofensiva marcada por várias aberturas, incluindo diplomáticas, desde a eleição do presidente Rohani.

A aproximação com os Estados Unidos, o reconhecimento da realidade do Holocausto, o progresso na questão nuclear… A abertura para a Santa Sé também serve para fortalecer o Irã no cenário internacional, dada a popularidade do Papa Francisco.

A Santa Sé e os teólogos xiitas da Universidade de Qom mantém há tempos um diálogo caloroso e frutífero, muito mais substancial do que entre a Igreja Católica e várias autoridades sunitas.

E na Síria, os xiitas e suas comunidades minoritárias, como os alauítas, são geralmente favoráveis ao governo, assim como os cristãos, contra os extremistas sunitas muitas vezes financiados pelas monarquias do Golfo. (Por Agência LUSA)

últimas noticias
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade