ODemocrata

Prefeitura Lucimar busca combater a água servida nas ruas de Valparaíso

A Prefeitura de Valparaíso de Goiás busca coibir o lançamento de água servida – água servida é toda água que foi usada para algum fim, como água de banho, de processos industriais, de lavagem de carros, máquina de lavar e etc, que precisam ser tratadas para serem usadas novamente – nas ruas da cidade. Agentes de fiscalização, da Secretária Municipal de Desenvolvimento e Infraestrutura Urbana – SMDI, intensificarão ações em áreas consideradas críticas.

“A água servida, que é despejada nas ruas, destrói o asfalto, e fica pior com o atrito dos pneus dos carros. A água acumulada nos buracos exala mau cheiro e prejudica a saúde pública. Alguns moradores acabam pagando pelas práticas erradas de outros”, alerta a Secretária da SMDI, Cynthia Borges.

Áreas críticas

O lançamento de água servida nas ruas de Valparaíso é prática antiga e o desrespeito à legislação é visível e constante. Desde o início da atual gestão, a Prefeitura, por meio da SMDI, fez um levantamento de áreas consideradas mais críticas. Essas localidades serão os principais alvos da força-tarefa.

Dois bairros estão classificados como críticos, Setor de Chácaras Anhanguera e o Céu Azul, onde a fiscalização e o levantamento de informações começarão na segunda-feira, dia 20 de janeiro. Os desrespeitos à legislação são passíveis de notificação e multa de acordo com a quantidade de resíduos, grau de poluição e contaminação do meio ambiente.Conscientização e notificação

No primeiro momento, os agentes de inspeção adotarão postura de conscientização e orientação quanto aos riscos provocados por essa prática, tanto na saúde quanto na danificação do asfalto.

Os casos de desrespeito constatados pelos agentes de fiscalização estão sujeitos a notificações e, em caso de reincidência, de multas. Os valores das multas aplicadas na força-tarefa variam de acordo com a quantificação dos resíduos, grau de poluição e contaminação do meio ambiente, como foi esclarecido previamente, previsto na Lei Municipal 062/12, nas resoluções do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) e na Lei Federal 9.605/98, sobre crimes ambientais. (DA Ascpm da Prefeitura de Valparaíso)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *