ODemocrata

Filho de Fidel Castro apresenta na Argentina fotos pessoais de seu pai

O livro “Fidel: Uma história, cinco olhares”, que reúne as fotografias mais privadas do líder da revolução cubana, foi apresentado na segunda-feira (28) durante a feira do livro de Buenos Aires, na Argentina, pelas mãos de seu filho Alex Castro.

Alex Castro Soto del Valle, filho do líder cubano Fidel Castro (Foto: Arquivo/AP)
Alex Castro Soto del Valle, filho do líder cubano
Fidel Castro (Foto: Arquivo/AP)

A obra inclui fotografias feitas por Osvaldo Salas, Liborio Noval, Pablo Caballero, Roberto Salas e o próprio Alex Castro. Nas palavras do embaixador de Cuba na Argentina, Jorge Lamadrid, o volume tem “a enorme virtude de ser um testemunho gráfico de 60 anos de luta”.

Durante a apresentação, Lamadrid agradeceu a “familiaridade” com a qual Fidel Castro foi recebido na Argentina em suas quatro visitas – a última delas, em 2006. O embaixador cubano se referiu também à “pedagogia revolucionária” de Fidel para “consolidar a epopeia” e suportar “os embates do império americano”.

Alex Castro se manteve em um prudente segundo plano e evitou falar com a imprensa, mas agradeceu o “bom recebimento” do livro em Buenos Aires, onde também foi organizada uma semana de debates e conferências sobre o líder da revolução cubana.

O lançamento de “Fidel: Uma história, cinco olhares” na feira foi precedido da inauguração da mostra “Fidel: 83 motivos”, que exibiu algumas das imagens do livro, no Centro Cultural da Cooperação.

Tanto a obra literária quanto a exposição – em cartaz até esta quarta-feira (30) – oferecem uma viagem pela vida de Fidel Castro, desde sua juventude até os anos mais recentes. Há oito anos, por causa de uma grave doença intestinal, o líder da revolução cubana começou a se afastar gradativamente do poder e do primeiro escalão da política.

Junto com fotografias inéditas, o volume também apresenta algumas das imagens mais famosas de Fidel, como o registro do comandante cubano com o escritor americano Ernest Hemingway e as cenas de seu acampamento em Sierra Maestra, região serrana de Cuba.

Para o diretor do Centro Cultural da Cooperação, Juan Carlos Junio, a proposta constitui um “reflexo” da vida de Fidel Castro e da revolução cubana. (Da EFE)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *