Autor de feminicídio no DF se mata após perseguição policial em Goiás - O Democrata - O Democrata O Democrata - Noticia toda hora ...

Autor de feminicídio no DF se mata após perseguição policial em Goiás

Após o crime, ele fugiu com o carro da vítima, um Jetta branco. Policiais de Goiás o localizaram e iniciaram uma perseguição

Regional

1 semana atrás

Geovane Geraldo Mendes da Cunha, 44 anos, usou a própria arma para se matar após ser perseguido pela polícia, em São Gabriel (GO). Na madrugada desta terça-feira (12/01), o homem, que trabalha na Companhia Energética de Brasília (CEB), invadiu a casa da ex-companheira, em Sobradinho, e a matou com três tiros. O filho da mulher estava na casa e presenciou tudo.

Após o feminicídio, ele fugiu com o carro da vítima, um Jetta branco. Policiais de Goiás o localizaram e iniciaram uma perseguição. Ao chegar na altura do município de São Gabriel, o feminicida decidiu tirar a própria vida.

O filho da professora aposentada Marley de Barcelos Dias, 54, contou à polícia o que viu na madrugada desta terça na casa da família, localizada na Quadra 4, Conjunto B, no Condomínio Império dos Nobres, em Sobradinho.

Hudson Maldonaldo, Delegado da 13ª DP no DF
O delegado Hudson Maldonado em coletiva de imprensaRafaela Felicciano/Metrópoles

Marley de Barcelos Dias, vítima de feminicídio no DF
Marley já havia registrado boletim de ocorrência contra GeovaneArquivo Pessoal


Geovane Geraldo Mendes da Cunha se matou em seguidaReprodução

De acordo com o jovem de 23 anos, Geovane pulou o muro da residência da família. Segundo ele, houve um princípio de discussão. O rapaz ouviu o barulho e pegou uma moringa de vidro para se defender, momento em que o suspeito fez um disparo à queima-roupa contra a vítima. Marley caiu na cozinha da casa e, logo em seguida, o suspeito disparou mais duas vezes contra ela.

Logo depois, Cunha fugiu no veículo de Marley Dias. A testemunha detalhou que o criminoso chegou ao local com o veículo da irmã.

A mulher sofreu perfuração de arma de fogo na região torácica e não apresentava sinais vitais quando os bombeiros chegaram à residência onde ocorreu o crime. Ela já havia registrado ocorrências de violência doméstica contra o homem e as medidas protetivas estavam em vigor.

Violência
É o segundo caso de feminicídio no DF em quatro dias. Por volta das 21h de sexta-feira (8/1), no Conjunto D da QNN 3, em Ceilândia, Isabel Ferreira Alves, 37 anos, também foi assassinada e se tornou a primeira vítima de feminicídio este ano no DF.

Fonte: metrópoles
últimas noticias
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade