Mulher que dopava servidor do Banco Central é indiciada pela PCDF - O Democrata - O Democrata O Democrata - Noticia toda hora ...

Mulher que dopava servidor do Banco Central é indiciada pela PCDF

Inquérito que indiciou Maruzia das Graças Brum Rodrigues, 53 anos, por maus tratos seguiu para o Ministério Público do Distrito Federal

Regional

6 dias atrás

Acusada de maus-tratos, lesão corporal e cárcere privado cometidos contra o próprio companheiro, um servidor aposentado do Banco Central (Bacen), de 49 anos, Maruzia das Graças Brum Rodrigues, 53 anos, foi indiciada pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF). O inquérito conduzido pela 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul) já foi relatado e enviado ao Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

A PCDF ainda fez o alerta ao judiciário sobre a possibilidade de Maruzia deixar o Brasil rumo a Portugal, onde mantém um imóvel alugado. Nos próximos dias, o Ministério Público decidirá se irá oferecer denúncia contra a mulher. Os filhos de Maruzia e enteados de Eduardo Nunes Rodrigues, 49, temem que a suspeita fuja para a Europa e não responda ao processo criminal.

Na delegacia, as testemunhas, filhas de Maruzia, contaram que a mãe dopava, agredia e obrigava o companheiro a tomar medicamentos usados para castração química. A motivação da mulher seria controlar a aposentadoria do analista do Bacen, com vencimentos próximos aos R$ 23 mil.

corte na pele

O servidor aposentado do Bacen teria sido esfaqueado no braço pela companheira
O caso

Vídeos, fotos e uma série de documentos foram juntados por três irmãos, filhos da suposta autora e enteados da vítima. O inquérito foi instaurado na 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul). O caso veio à tona após uma viatura da Polícia Militar e uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) serem acionadas para socorrer o ex-servidor do Bacen, em 8 de setembro.

Os enteados da vítima esperaram o momento em que a mãe estaria passando por procedimentos de cirurgia plástica em um hospital no DF para tentar visitar Eduardo e descobrir em que condições ele vivia. Grogue e prostrado em uma cama, o homem não conseguia falar com coesão e apresentava hematomas e lesões nos braços, segundo uma das enteadas do servidor aposentado.

Busca e apreensão

Os três filhos de Maruzia acionaram a Justiça pedindo o deferimento de um pedido de busca e apreensão do aposentado em tutela de urgência e retirando a guarda mantida pela atual companheira. Para garantir o andamento do processo com todas as partes em solo brasileiro, o Judiciário oficiou à Polícia Federal determinando o bloqueio do passaporte de Eduardo, evitando que ele seja tirado do país.

A reportagem não localizou a defesa de Maruzia para comentar a acusação dos filhos e o andamento do processo envolvendo a busca e apreensão do aposentado.

últimas noticias
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade