ODemocrata

Manifestação contra Perillo acaba com prisões

Cerca de 40 pessoas, entre elas vários estudantes, foram presas na noite desta segunda-feira (30) durante uma manifestação que ocorreu próximo ao Shopping Flamboyant, no Jardim Goiás, em Goiânia. A violência tomou de conta do protesto que reuniu cerca de 200 pessoas.

Cerca de 40 manifestantes são presos em protesto contra governo de Marconi
Cerca de 40 manifestantes são presos em protesto contra governo de Marconi

De acordo com os manifestantes, o movimento foi motivado por supostos casos de corrupção e promessas não cumpridas pelo governador Marconi Perillo. Com a motivação de tomar a frente da casa do Governador, as pessoas foram surpreendidas com a notícia de que Marconi estaria na Cidade de Goiás. Isso mudou o rumo do movimento.

Segundo a polícia com os estudantes foram presos pedras, paus, drogas e armas Foto: Reprodução/MaisGoiás

Os manifestantes detidos foram encaminhados para o 8º Distrito Policial, no Setor Pedro Ludovico, e permanecerão no local até que o caso seja analisado. O julgamento deve acontecer no próximo dia 22 de agosto.

De acordo com a PM, eles serão autuados por formação de quadrilha, crime de dano qualificado ao patrimônio público e privado, incitação de brigas e ataques a policiais.

Manifestação

Assim como todos os movimentos que estão acontecendo no país, este também começou nas redes sociais e partiu para a rua. A concentração estava marcada para as 17h em frente ao Shopping Flamboyant, próximo à Praça do Relógio. Apesar de 2 mil pessoas terem confirmado presença no evento divulgado no Facebook, apenas cerca de 200 pessoas compareceram.

O protesto, que durou quase três horas, foi guiado por um carro de som que incitava os gritos de ordem, ataques a burguesia goiana, contra a corrupção e ao governador do Estado. O principal pedido das pessoas era o fim da ‘Era Marconi’ em Goiás e para manifestar seu desejo eles utilizaram camisetas pretas, máscaras, escudos de madeira, cartazes, etc.

Os protestantes fecharam as entradas da praça ateando fogo em cartazes e bandeiras, mas logo foram acrescentados paus, caixas de papelão, lixo das ruas, etc; para aumentar a fogueira. Os veículos que tentavam furar o bloqueio foram barrados com escudos de madeira improvisados.

Foto: Cristovão Matos

Locais como Empório Saccaria e concessionária Hyundai foram alvo de ataques das pessoas que estavam no comboio. Manifestantes jogaram pedras nos vidros da loja de veículos e picharam frases como: “anarquia”, “Copa pra quem?” e “pão e circo”.

Foto: Cristovão Matos

O protesto acabou por volta das 20h com a prisão dos principais responsáveis pelas ações realizadas durante o manifesto, inclusive o líder que comandava o movimento. De acordo com a PM o estudante que estava a frente com o microfone do carro de som incitou as pessoas a partirem para a violência. Ele deve ser indiciado por incentivar brigas e ofender a policiais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *