No DF, 62,16% dos estupros foram cometidos contra crianças ou pessoas com deficiência

Em 2023, dos 370 casos de estupro registrados no DF, 230 foram cometidos contra pessoas consideradas vulneráveis

lei de alienação parental menina

A maioria dos casos recentes de estupro ocorridos no Distrito Federal foi classificada como de vulnerável. De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF), 62,16% dos 370 estupros registrados no primeiro semestre de 2023 foram cometidos contra pessoas com menos de 14 anos ou que, por enfermidade ou deficiência mental, não têm o necessário discernimento para oferecer resistência ao ato sexual.

Foram 280 vítimas vulneráveis — em 42 ocorrências houve mais de uma vítima.

Ainda segundo os dados da pasta, 2022 foi o ano com o maior número absoluto de violação contra pessoas indefesas. O ano somou 522 episódios do tipo, o equivalente a 68,41% das 763 ocorrências de estupro.

Faixas etárias

Entre os acontecidos de 2023, cerca de 75,3% das vítimas tinham menos de 14 anos. Em segundo lugar, aparecem as pessoas de 14 a 30 anos, que representam 12,5% do total. A faixa etária de 41 a 50 anos corresponde a 3,5% das vítimas desse crime.

Enquanto isso, os agressores, em sua maioria, tinham entre 31 e 40 anos.

Das 230 ocorrências de estupro de vítima vulnerável, foram identificados 88,3% dos autores, ou seja, 203 — sendo 20 mulheres e 183 homens.

Questionada, a Secretaria de Segurança Pública informou que o enfrentamento à violência doméstica é prioridade da atual gestão.

“Durante os primeiros seis meses deste ano, os índices apontam que o crime de estupro de vulnerável ocorreu no interior de residências em 77,4%. Portanto é um delito de difícil combate em que a denúncia cumpre papel fundamental”, completou a pasta.

Tentativas de estupro

De acordo com a SSP, no primeiro semestre deste ano foram registradas 25 ocorrências de tentativas de estupro, 12 a menos que no mesmo período de 2022.

Confira, abaixo, o total de ocorrências registradas, por ano:

  • 2022: 70
  • 2021: 42
  • 2020: 58
  • 2019: 93

Recentemente, uma jovem de 18 anos foi atacada no meio da rua na Colônia Agrícola Samambaia. O homem, ainda não identificado, tentou arrancar roupa dela e chegou a arranhá-la nas nádegas.

Denuncie

A SSP reforçou que a Polícia Civil (PCDF) fornece meios próprios para a denúncia de violência contra mulheres. As vítimas podem fazer uma denúncia online, ligar 197 (acessar a opção 0) ou se dirigir a uma Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam 1 e 2), bem como todas as delegacias circunscricionais, que contam com seções de atendimento à mulher.

“Também estão disponíveis o e-mail denuncia197@pcdf.df.gov.br e o WhatsApp (61) 9.8626-1197. Para atendimento emergencial também está disponível o telefone 190, da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF).”

Siga ODEMOCRATA no Instagram pelo link www.instagram.com/odemocrata
📰Leia e veja as melhores notícias do Distrito Federal, entorno de Brasília, Brasil e do mundo🌎dando ênfase para notícias regionais📍e de utilidade pública.
✔️ANUNCIE CONOSCO
🟩WhatsApp📱(61)98426-5564📱(61)99414-6986
✅Confira nossa tabela de preço. Fazemos permutas e parcerias🤝🏽
PORTAL DE NOTÍCIAS
📲ODEMOCRATA
🌎SEMPRE CONECTADO COM VOÇÊ🖥️

fonte:

Metrópoles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *